quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

"O cinismo foi uma corrente filosófica fundada por um discípulo de Sócrates, chamado Antístenes, e cujo maior nome foi Diógenes de Sínope, por volta de 400 a.C., que pregava essencialmente o desapego aos bens materiais e externos. O termo passou à posteridade como caraterização pejorativa de pessoas sem pudor, indiferentes ao sofrimento alheio (que em nada se assemelha a origem filosófica da palavra)."

Ontem tive aula de filosofia ao ar livre, na área dos bares da faculdade, e depois da aula tive algumas curiosidades. O cinismo foi uma delas. O professor falava "os cínicos não sei o que, os cínicos não sei que lá..." e eu achava que estava ouvindo a palavra sendo pronunciada de forma errada. Não estava não!

Essa descrição de cinismo, iniciando o texto, foi retirada da Wikipedia (http://pt.wikipedia.org/wiki/Cinismo). Conversando com o professor, o mesmo me explicou sobre a origem, o porquê do uso da palavra "cinismo" como o adjetivo pejorativo que é hoje. Parecido com o que está escrito na descrição acima, o cinismo remetia a imagem dos cínicos que falavam com certa zombaria, sem se importar muito com o externo, de forma... mais debochada.

Achei interessante. Fiquei bastante incomodada por em algum momento do passado, uma pessoa que sequer me conhecia minimamente ter tido a ousadia de me caracterizar com esse adjetivo. Um tempo mais tarde, uma pessoa muito próxima a essa disse a mesma coisa, concordando com a mesma. Só que isso é algo que, até onde sei e percebo, quem me conhece não diz sobre mim. Hmm, bom, ou essas pessoas não sabem o que significa ou eu simplesmente as trato com diferença (ou indiferença). Que seja, como foi algo curioso para mim, achei que seria interessante guardar uma explicação sobre.

Antes de se utilizar de um adjetivo, conheça-o!

;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário